quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Como emitir o certificado internacional de vacinação ou profilaxia (CIVP)?

Alguns dos destinos mais badalados pelos turistas possuem pré-requisitos para visitá-los, e uma carteira de vacinação em dia é um deles. Se a intenção for visitar um destino internacional que exija vacinação, depois de tomar as vacinas, o viajante precisa saber como emitir o certificado internacional de vacinação. 

Reunimos nesse post a nossa experiência para tomar a vacina contra a febre amarela e sobre a emissão do certificado nacional de vacinação ou profilaxia.

Como emitir o certificado internacional de vacinação ou profilaxia?


Se você está planejando viajar para algum dos países que exigem o certificado internacional de vacinação ou profilaxia (CIVP), antes de qualquer coisa você deve se informar quais as vacinas são necessárias, e procurar um posto de saúde para tomá-las.

As vacinas também podem ser tomadas junto ao setor privado, mediante um custo adicional. Mas é importante ter em mente que todas as vacinas exigidas para viagens são aplicadas no sistema público de saúde de maneira gratuita.





Nós tomamos a vacina contra a febre amarela no posto de saúde gratuitamente. Chegamos ao posto no horário de abertura e fomos atendidos sem burocracias, nem demora.

Verificamos o valor da vacina no sistema privado, e a mesma vacina aplicada no sistema público gratuitamente, custava R$200,00 por pessoa em clínicas de vacinação particulares. Então, tomar a vacina no sistema público de saúde representa uma boa economia.

Portando a carteira nacional de vacinação, que deverá conter o número do lote da vacina, nome de quem aplicou e nome do fabricante, você deverá se dirigir a um dos postos indicados no site da Anvisa, de acordo com a sua conveniência, para emitir o certificado internacional de vacinação ou profilaxia (CIVP). 

O viajante deverá comparecer ao posto da Anvisa portanto seus documentos pessoais, como por exemplo, carteira de identidade, passaporte, carteira profissional ou carteira de habilitação (CNH). 

A dica de ouro é não utilizar o passaporte como documento para emissão do certificado internacional de vacinação ou profilaxia (CIVP), porque este possui prazo de validade, e após expirado, você terá que fazer um novo passaporte, que ganhará um novo número, diferente do apontado no certificado internacional de vacinação. Então, como o CIVP atualmente não possui prazo de validade, você terá que levar seu passaporte antigo em todas as viagens, caso o utilize na emissão do CIVP.

A carteira de vacinação não tem validade para viagens ao exterior, é necessário possuir o certificado internacional de vacinação ou profilaxia (CIVP). 

No site da Anvisa indicam que o viajante faça um pré cadastro antes de se dirigir ao posto para confeccionar o certificado internacional de vacinação. Nós não fizemos esse pré cadastro e retiramos o certificado internacional de vacinação em menos de 10 minutos. 


Menores de idade não precisam comparecer ao posto acompanhando seus responsáveis no momento da emissão do CIVP. Basta o comparecimento dos responsáveis, munidos da documentação do menor.

Quem não pode tomar vacina tem o direito de requerer o certificado de isenção de vacina. 

A lista dos postos para confecção do certificado internacional de vacinação ou profilaxia  pode ser encontrada no site da Anvisa.


Conheça um pouco sobre nossa viagem que nos motivou a emitir o Certificado Internacional de Vacinação: